sexta-feira, 25 de novembro de 2011

ele há coisas...

Hoje passei na worten de caneta e caderninho em punho para apontar uns preços do que quero comprar, aproveitando descontos, e fazer as minhas contas... é que diz que a Rádio Popular faz este fim de semana desconto identico, só que 23% (o IVA) em vale de desconto...

Então não é que fui abordada que não podia estar ali a apontar preços... "é que a concorrência e tal"!!!! A serio! Juro! O que vale é que foi uma abordagem soft e simpatica... ri-me e aceitei a ajuda do rapaz que foi chamado para me dar a lista de preços que eu pretendia....

como diria o saudoso Fernando Pessa... "e esta, hein?!"

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Reminder... ainda cá ando :)

Ando com falta de tempo... mas não me faltam ideias para partilhar convosco! Assim que me conseguir sentar mais que 2 minutos e escrever.... até se vão fartar! Obrigada pela paciência e continuarem aí desse lado.

Não quero deixar de avisar/relembrar que este fim de semana há desconto de 20% em vale na Worten. Com as devidas cautelas já tantas vezes aqui referidas (e especial atenção aos preços) acho que é de aproveitar, divide-se as prendas que se querem comprar em 2 dias, um para receber os descontos e outro para os gastar!

Boas compras e Boas Poupanças!

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Fico chateada, com certeza que fico chateada

Então vou comprar pêras para fazer os doces... aproveito o desconto em cartão de 50% que mandaram para casa. Excelente!

Chego lá, trago um saco e na caixa... "não podem ser estas... só as pesadas e que têm um selo preto"

Sim, senhora... volto para trás... ora qual não é o meu espanto quando vejo....o saco que eu trazia inicialmente... 1€/Kg... as ditas com vale em desconto... 2.49€/kg.... estão a brincar não? Nem com os 50% de desconto compensa!!!

Toca a fazer contas, sempre!

Boas Poupanças!

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Cabazes de Natal Parte II

Ora fiz mais umas contas e aqui estão (por cabaz):
Enfeites dos cabazes (incluem etiquetas, bolas, fitas, feltro – para cobrir as tampas dos frascos de doce – e outras decorações variadas) – cerca de 1.5€
Fotos: vou aproveitar as da escola do meu filho 1€ (sim, são caríssimas!) e as que faltarem imprimo em casa.
Ingredientes: cerca de 2.44€ (tendo em atenção que em muitos casos não usei a totalidade do que foi comprado, mas tendo sido comprado especificamente para o efeito, contabilizei a totalidade)
·         Especiarias     1,63 €
·         Canela            0,69 €
·         Alhos 0,49 €
·         Miolo noz       3,99 €
·         Açúcar (3kg)   2,67 €
·         Pera rocha      1,09 €
·         Frutos vermelhos       5,19 €
·         Limão  0,36 €
·         Azeite  8,00 €
·         Farinha           0,33 €


Isto significa que um cabaz mais composto, como é o caso da mãe e sogra e que inclui então o sal e o azeite aromatizados, as bolachas (que só farei mais próximo do Natal), um doce, uma vela, uma foto e a decoração (bem como os frascos), fica a cerca de 10€! Obviamente, num cabaz bem mais pequeno, o valor desce substancialmente e conseguindo aproveitar materiais, ainda mais!
Boas Poupanças!

5000!

Bem... mais de 5000 já vieram visitar este cantinho! Estou mesmo feliz.

Espero de todo o coração que tenha ajudado qualquer coisinha e que continuemos a partilhar dicas para que daqui a algum tempo (pouco, espero) os post deste espaço comecem com... Já posso comprar... consegui alcançar...

Obrigada por estarem desse lado

beijinho e

Boas Poupanças!

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Contagem decrescente para o Natal


Se ontem foi dia de aproveitar os descontos nos brinquedos... Hoje mantive-me no espirito Natalício!

Este ano vou tentar aderir ao movimento “cabazes de Natal”, conhecem? Estou a brincar, inventei eu o nome, mas adorei a ideia de fazer uns cabazes com coisas boas feitas por mim! (além de amigas que fazem, também tirei ideias da Joana)

1º Porque, à primeira vista, parece que fica mais barato que uma compra;
2.º São coisas uteis a quem as recebe; e
3.º São prendas bem mais pessoais uma vez que somos nós que as fazemos e portanto tem “parte de nós”

No entanto, a decisão já vem um pouco tarde porque não consegui guardar e aproveitar das compras que faço os frasquinhos e caixinhas para as ofertas. Mas encontrei uma lojinha bem barata com coisas para a casa.

Vou aproveitar uns cestos que tinha cá em casa, lindos, mas que estão um pouco desaproveitados (daqueles que vêm com arranjos de flores) ou usar sacos de papel de Natal ou até caixas que podem ser decoradas. E estou a pensar fazer:
·         Azeite aromático
·         Sal aromatizado
·         Bolachas
·         Doces

Tendo comprado garrafinhas (que podiam muito bem ser os frascos/garrafas de polpa de tomate) e frascos para o sal e para as bolachas (se me tivesse lembrado tinha guardado as latas de nesquik) os cabazes não ficaram a mais de 5,5€ (os completos)! Falta fazer as contas à matéria prima e às decorações. Ah! E para dar ainda mais um toque (e porque os cabazes são para a família) inclui uma moldura pequena (menos de 1€) e uma velinha pequena alusiva ao Natal.
As fotos que apresento são dos cabazes ainda em bruto. Vamos ver como ficam.


Boas Poupanças!

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Boas noticias!

"Taxas Euribor tiveram hoje a maior descida do ano

As taxas Euribor a três e seis meses tiveram hoje a maior queda do ano num só dia, depois de ontem o BCE ter decidido baixar as suas taxas directoras, o que fará diminuir as prestações do crédito à habitação. "

in http://economia.publico.pt/Noticia/taxas-euribor-tiveram-hoje-a-maior-descida-do-ano-1519536

Boas Poupanças!

Brinquedos

Para quem considere útil e quiser antecipar prendas de Natal...

Este fim-de-semana no Continente.... Brinquedos com 50% de desconto em cartão!

A outra metade pode servir para depois comprar o bacalhau hi hi hi!


Boas Poupanças!

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Aproveitar o sol!

A iluminação natural é a melhor e deixar o sol entrar em nossas casas não só anima logo o dia como aquece o nosso lar.
Então há que aproveitar ao máximo e gerir este aquecimento natural em nosso favor. Assim, para aproveitar ao máximo a luz solar e utilizar a iluminação artificial de modo racional, opte pela luz certa, no local certo e no tempo certo:
  • Sempre que possível, utilize a luz natural. Evite acender lâmpadas durante o dia; abrindo as cortinas e persianas e tirando partido da luz do Sol;

  • No Inverno, deixe as persianas para cima para ir aquecendo a casa durante o dia e à noite, feche-as para que o calor seja preservado dentro de casa;

  • No verão, em assoalhadas muitos expostas ao sol, deixe as persianas corridas (excepto, claro se precisar da iluminação para ver), de forma a não aquecer demais a divisão. Abra as janelas no final de tarde ou de manhã para aproveitar a brisa mais fresca;

  • Desligue a luz quando esta não for necessária, verifique a vantagem de ter um pequeno candeeiro com uma luz suave e de baixo consumo em locais de passagem que precisam estar sempre iluminados;

  • Se recorrer à iluminação artificial, opte por lâmpadas mais eficientes. Utilize-as preferencialmente nas áreas de maior utilização e na substituição de lâmpadas ineficientes e muito utilizadas;

  • Pinte as paredes e o tecto com cores claras, que reflectem melhor a luz, reduzindo as necessidades de iluminação artificial;

  • E acima de tudo, aproveite o sol lá fora, mesmo que esteja frio! Faz bem à saúde e à alma!

(baseado também na informação da EDP)

Boas Poupanças!

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Iluminação

(pois que não sei o que se passou com este post que não aparecia nada cá escrito e quando eu o fiz, estava tudo ok... espero que não tenha sido censurado! aqui vai outra vez)

Cá em casa, este verão, e aproveitando parte do subsidio, resolvemos fazer um investimento em lâmpadas economizadoras, substituindo todas aquelas que ainda não eram deste género de forma a reduzir o consumo energético. A excepção foi mesmo os holofotes do tecto falso, é que as lâmpadas para estes são mesmo caríssimas. Mas enquanto não são substituídos, desligamos metade, em termos de iluminação não se nota grande diferença, e em termos de consumo, é metade!


Quanto às lâmpadas, propriamente ditas, podia pôr-me aqui a divagar, mas acho que a informação que está no site da EDP está muito interessante e pode ajudar imenso, pelo que a transcrevo para aqui.


" (...) As lâmpadas incandescentes clássicas são mais baratas, mas apresentam uma eficiência muito reduzida. As lâmpadas fluorescentes compactas (LFC) são uma boa opção, pois dão a mesma luz do que uma lâmpada convencional, mas gastam menos 80% de energia, tendo uma vida útil muito superior. As LFC permitem poupar dinheiro e energia, numa única compra. E ao poupar energia, estará a ajudar no combate às alterações climáticas.

Tipos de lâmpadas
As lâmpadas para uso doméstico são as lâmpadas incandescentes (clássicas ou de halogéneo) e as lâmpadas fluorescentes (tubulares ou compactas).
As lâmpadas mais eficientes são as lâmpadas fluorescentes. Nesta categoria podemos distinguir entre lâmpadas fluorescentes tubulares (vulgarmente designadas por lâmpadas T8 ou T5) e as lâmpadas fluorescentes compactas (também designadas de economizadoras). Veja aqui as características base de cada tipo de lâmpada:
tabela1
As lâmpadas fluorescentes apresentam um rendimento luminoso superior comparativamente com a tecnologia incandescente. Na prática, para a mesma intensidade de luz produzida (fluxo luminoso), as lâmpadas fluorescentes consomem cerca de 5 vezes menos energia:
tabelas2
A lâmpada fluorescente tubular apresenta geralmente potências superiores, rendimentos luminosos e tempos de vida superiores aos das lâmpadas economizadoras. No entanto, as lâmpadas fluorescentes tubulares necessitam de luminárias (ou armaduras) próprias devido às dimensões elevadas. As LFC com balastro electrónico integrado permitem a substituição directa das lâmpadas incandescentes por possuírem o mesmo tipo de casquilho.
Embora as LFC sejam mais caras do que as lâmpadas incandescentes, apresentam um tempo de vida muito superior (entre 3 a 15 vezes mais) e consomem muito menos (cerca de 80% menos), motivos que rentabilizam o investimento num período aproximado de um ano (para um tempo de utilização diário de 3 horas).
As economias obtidas dependem do número de lâmpadas, da potência e do tempo de funcionamento. Quanto maior o tempo de utilização das lâmpadas a substituir maior será a redução de custos.
Relativamente às lâmpadas de halogéneo, a sua luz é mais próxima da luz natural do que a luz das lâmpadas fluorescentes. Contudo, para a mesma eficiência luminosa, as lâmpadas de halogéneo consomem 3 a 4 vezes mais energia do que as LFC. Assim, a sua substituição é vantajosa desde que possuam casquilhos semelhantes.

Cuidados a ter na aquisição de uma LFC
Um dos parâmetros mais importantes é o custo de aquisição. Como as LFC apresentam tempos de vida variáveis entre 3.000 e 15.000 horas, possuem um preço mais elevado.
Deve também ter atenção ao tipo de luz; uma cor quente e mais confortável (mais amarela) assemelha-se ao tipo de luz produzida pelas lâmpadas incandescentes, enquanto uma tonalidade fria (mais azulada) é adequada para espaços de trabalho. Aconselhamos a leitura atenta da informação constante na embalagem.
Existem na actualidade formatos diferenciados que permitem a substituição directa dos diferentes tipos de lâmpadas incandescentes. A tabela de equivalência de potências deve ser respeitada para obter o mesmo fluxo luminoso. Verifique também a classe de eficiência energética (se se tratar de uma lâmpada classe A estará a optar por uma solução eficiente)."

Boas Poupanças!
Ocorreu um erro neste dispositivo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...