segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Desbloquear entraves

A propósito dos últimos posts referentes à EDP, surgiram questões que vale a pena desbloquear:
1.      Facturas electrónicas
A ideia de poupar pode e deve estender-se ao ambiente em vez de se ficar pelo dinheiro. Neste sentido sou grande apologista das facturas electrónicas. Vêm directamente para o e-mail, a tempo e horas e não se perdem pelo caminho. Basta estar atento ao e-mail (e quem hoje em dia não consulta, pelo menos uma vez por dia o seu e-mail?) e elas lá estão. E são exactamente iguais às impressas.
Não faço questão de as guardar no dossier que mantenho para os recibos e facturas, pois no arquivo do próprio e-mail ou copia numa pasta do PC estão mais que bem e podem sempre ser consultadas. E se por qualquer razão precisar de as imprimir, também o posso fazer. Menos papel, mais árvores.
2.      Pagamentos mensais ou bimensais
Numa lógica de planeamento/orçamento familiar será mesmo relevante se a conta surge todos os meses ou de 2 em 2? Penso que não. Assim como já referi relativamente às despesas anuais Aqui, acredito que se deve pensar como que numa lógica de pagamento a prestações. Eu pago 30€ por mês de luz ou 60€ de bimensalmente. As taxas aplicadas não revelam qualquer vantagem para cada modalidade de pagamento. Sei que no mês que não pago, tenho de guardar 50% da minha estimativa de 2 meses.
A única vantagem, mas apenas para aqueles muito organizados e disciplinados, pode estar em poder gastar numa “emergência” esse valor no mês que não pago, como se fosse um crédito, mas sem juros. Mas a verdade é que no mês seguinte temos de ir buscar a algum lado, certo?
3.      Conta certa
Esta decorre exactamente da EDP… hum… vantagens? Tenho a certeza de que durante 11 meses (ou 10, para quando os acertos surgem semestralmente) pago exactamente aquele valor. Desvantagens? E quanto pagarei na altura dos acertos? Incógnita.
Dá muito mais trabalho, bem sei, mas o ideal é mesmo fazer a comunicação das leituras, luz, água e gás e tentar ao máximo prever o quanto nos irão cobrar, fazer contas, portanto. Mesmo que nos esqueçamos um mês, a verdade é que não vai surgir uma altura em que nos aparece um balúrdio para pagar de acertos e que nos deixa deprimidos e ansiosos.
4.      Débito directo
Esta é daquelas que não percebo porque tanta gente tem receio…
“Não sei quando me vão tirar o dinheiro da conta”…. Sabe sim! Da mesma forma que no pagamento normal tem uma data limite e pagamento, na factura do mês, aparece a data exacta em que vão fazer o debito na sua conta. De qualquer forma, as facturas têm um período de cerca de 2 semanas até se realizar o pagamento, pelo que sabemos o que fazer. Mais, salvo raras excepções, as datas de pagamento são sempre no mesmo dia (ou muito próximo), como no caso da renda da casa, o que permite uma prever o mês, exactamente da mesma forma.
“Se for eu a pagar, giro o dinheiro muito mais facilmente”… hum, esta até posso considerar. Se não der no inicio do mês, pago mais no fim quando chegar o ordenado. Bem, não sei se é realmente assim ou se estamos a tapar o sol com a peneira porque no fundo, desde que haja de facto gestão, esta questão não se põe. Se o débito é a 2 e eu recebi a 25 do mês anterior, tenho de ter dinheiro até lá. Se a factura só cai a 24, tenho de ter dinheiro até lá!
“Ah e porque depois vêm os acertos e a factura é maior do que estava à espera e fico sem dinheiro ate ao final do mês”…. Volte a ler o que ficou para trás… a factura diz quanto e quando vão cobrar. Se a factura for real e não houver enganos, então cedo ou tarde o valor tem de ser pago de qualquer maneira. Se houver enganos, é fazer como tem de ser, levar a factura e reclamar e sim, é bem provável que tenha de pagar primeiro e reclamar depois, mas, como diz o outro…. “É o que temos”. E se ainda tiver dúvidas, saiba que pode dar ordem de um valor máximo de pagamento. Ou seja, a EDP até pode ir lá buscar o dinheiro da luz, mas só até 100€.

Agora, bem a serio… não quero criticar ninguém, mas apenas desmistificar algumas questões que por vezes colocamos, mas que podem não ser assim tão más. Mas aquilo que é realmente importante é aquilo que é melhor para cada um, cada casal, cada casa, cada família.
Boas Poupanças!

3 comentários:

Anónimo disse...

com as facturas electronicas pagas o papel, os tinteiros e perdes tempo ! Nada dessas 3 coisas são baratas e quem poupa são eles !

Ana disse...

Sem duvida alguma que "eles" poupam e muito!!!

SÓ faz sentido aderir se não formos dp nós imprimir. E assim também não gastamos e a poupar, poupamos o ambiente.

obrigada

São disse...

A única factura que não pago por transferência bancária é justamente a da EDP, mas é mesmo só por uma questão de birra! É que é a conta que mais me dói a pagar, acho um disparate o que eles cobram e já me aconteceu ter de dividir em prestações.
Quanto a facturas electrónicas, já me aconteceu várias vezes, à conta de picos de tensão, ficar sem nada no computador e se perder fotos é muito chato, ficar sem documentação é assunto mais sério. Como tal, prefiro manter o meu arquivo real.

Ocorreu um erro neste dispositivo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...