sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Resoluções de ano novo

Dizem as más-línguas que 2012 não será um ano bom, que será um ano difícil.
Pois aproveitemos estes últimos dias para as nossas resoluções para o novo ano. Planeamento, orçamento, poupança, são as palavras de ordem e há que acreditar que se consegue tudo!
Alguns temas para pensar:
O Ficheiro: Volto a dizer, não importa o vosso método porque cada família, cada pessoa consegue encontrar a melhor estratégia e, se estiver disponível, consegue adaptar-se aos entraves e sucessos com que se depara. Relembro apenas o quanto é importante controlar e prever as despesas do dia-a-dia e os extras que acontecem sempre. Volto a dizer o quanto é importante ter um fundo maneio para eventualidades, porque ninguém está livre de imprevistos.
Mas também importante é saber saborear os sucessos. Eu gosto, preciso até, de me vangloriar pelos sucessos, porque a natureza humana é assim mesmo. É preciso premiarmo-nos e mimarmo-nos a nós próprios porque se não for para o aproveitarmos, de que serve o dinheiro para o qual trabalhamos tanto.
Por isso sentem-se, sentem-se e percam ou ganhem algum tempo organizando o vosso ano mensalmente para que o dinheiro ou a falta dele não seja uma razão para um ano mau.

Os saldos e promoções: Pare e pense! Preciso disto? Vou usar? Vou ter retorno no meu investimento? Quer falemos na roupa, quer em comida, não nos devemos levar pelas promoções. Comprar em saldo só se traduz numa poupança se a necessidade nos obrigasse a comprar, de qualquer maneira, mesmo que não fosse com desconto. Ou seja: Se não estivesse em saldo, comprava? Não?! Então não compro. Não é uma poupança. É um gasto.

E não se esqueça que este ano não há subsídios na mesma e que o retorno do IRS será muito menor. É o primeiro erro contar com este dinheiro para despesas fixas (fixas, não extras, estes são diferentes). Não pensem neste dinheiro como parte do vosso rendimento/orçamento, pensem à partida nele como uma poupança.

Poupança: Não importa se retiram no início do mês uma parte, se põem de parte o que sobra ou se poupam apenas os rendimentos extra como os subsídios ou prémios. Poupança é poupança e é uma aprendizagem saber que a poupança merece tanto respeito e consciência de obrigatoriedade quanto a conta da luz. Poupem ou vão poupando, simplesmente porque vale a pena! Cada cêntimo que pouparem é para se sentirem realizados e se darem os parabéns, porque não é fácil. Depois, depois significa que a conta do mecânico não nos vai deixar em stress ou que as férias podem ser num sítio melhor. Vale a pena! Acreditem.

Leitores e amigos, agora que chegamos às 10mil pessoas a poupar (ou pelo menos que nos vêm ler), agradeço do fundo do coração estarem desse lado. 2012 vai ser um bom ano. Porque vamos aprender e vamos “arrumar o armário” das coisas que não interessam na nossa vida.
BOM ANO 2012!

E Boas Poupanças!

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Ultima semana do ano

Espero do fundo do coração que o vosso Natal tenha sido pelo menos tão bom como o meu!

Esta é uma semana para "arrumar" a casa e a nossa vidinha. Semana de resoluções... fazer as contas e planear não só o fim-de-ano, mas também um ano inteiro! Adoro!

Boas Poupanças!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Faltam poucos dias! E é Natal

Não deixem de trazer para vossas casas o Natal e de levar aos outros o vosso espírito natalicio. Mensagens no e-mail, mensagens no Facebook ainda não se pagam, por isso desejem um Feliz Natal aos vossos amigos e família.

E também há sites para envio de sms grátis, e se sobrou alguma coisa do orçamento, nada melhor que uma carta sincera escrita pela vossa mão.

O meu desejo sincero de um Feliz Natal! e Boas Poupanças!


terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Sinto-me orgulhosa...

... que num ano de crise tenha hoje conseguido fazer mais um deposito a prazo. Isto significa que conseguimos mais uma vez fazer uma poupança e isso é muito bom.

Algumas considerações sobre as contas poupança em geral.

1. As "poupanças" podem ser realizadas conforme a preferência/aversão ao risco. Numa conta a prazo, simples, o dinheiro poupado é seu e, à partida, não pode ser tirado. É o chamado capital garantido. Inversamente, há fundos e outro tipo de investimentos que não garantem o capital, ou seja, em ultima análise, pode-se efectivamente perder dinheiro, mas por outro lado têm uma remuneração, taxa de juro associada, bem mais atractiva. Se num caso, a taxa aplicada é fixa, no outro está indexada a uma taxa por exemplo, e sujeita às suas variações.

2. Outra questão a ter em conta, prende-se com a possibilidade de levantamento antecipado. Verifique se existe essa possibilidade ou sem tem alguma penalização. Pode-se levantar parte ou a totalidade, perdendo apenas os juros ganhos até ali, e na proporção do levantamento, ou pode o produto ter uma taxa ou comissão penalizadora neste sentido.

3. Falando de comissões, é importante também esclarecer se há alguma comissão associada, de deposito ou de gestão, o que no fundo vai diminuir o ganho do investimento.

Agora questões mais praticas. Poupar é bom. E é sempre melhor estar numa outra conta que na conta à ordem, se for numa conta remunerada tanto melhor! Ganha-se mais e é mais seguro porque não está facilmente acessível, quando "perdemos" o carão multibanco, por exemplo. Mas mesmo nas poupanças é bom que se façam contas, por um lado tempo em atenção aqueles 3 passos que referi acima, e por outro ter a certeza que aquele dinheiro não faz falta no fim do mês e nos obrigue a recorrer ao cartão de credito ou conta ordenado que com as taxas aplicadas é pior a emenda que o soneto, como se costuma dizer.

Hoje a oferta de depósitos poupança é tão melhor e mais diversificada (infelizmente, não no que respeita aos juros ganhos porque as taxas também não são as melhores, estão em crise!) que não se justifica pelo menos não pensar nisso. Antes só se podia abrir a conta com mínimo 250 euros, hoje, 25. Antes qualquer reforço teria de ser no mínimo 100 euros, hoje, bastam 10! Pense em si e no futuro. Pondere e faça contas e depois, poupe. Toda a pequena poupança é bem vinda!

Boas Poupanças!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

é Natal! É Natal nan nan nan nan nannnnn!!!!

Já falta tão pouco!! Yupiiii!

Pareço uma criança, eu sei, mas gosto mesmo do Natal!

Faltam menos de 2 semanas e cá em casa está tudo comprado! E claro contas feitas.

Ora aproveitando promoções e descontos etc, para a família principal cá de casa, pais e irmãos e bebes, 3 voltinhas de prendas, i.e., 2 miminhos e a prenda principal, ficou a cerca de 30 euros a cada um. Eu sei que ainda é qualquer coisa, mas cada família pode e deve elaborar o seu orçamento de acordo com o que acha que deve gastar. Aqui por casa, como no aniversário, aproveitamos o Natal para oferecer algumas coisas que são realmente necessárias. Mas quando não há essa possibilidade, ou quando o orçamento é realmente curto, o melhor é pensar que o Natal é para os miminhos e não para simplesmente gastar porque sim! Nas "necessidades" maiores fizemos a chamada "vaquinha" e compramos em conjunto com outras pessoas.
Depois, prendas para a restante família, ama do filhote, padrinho e a nossa querida ajudante de limpezas :) 7.20 euros por pessoa em média. Parece muito? É que não ultrapassei os 15 euros por pessoa (média total).

Outras poupanças... não comprei decorações para a casa e os embrulhos (excepto cabazes) foram feitos ou na própria loja ou reaproveitando os sacos e papel que sobraram do Natal do ano passado.

Para quem ainda vai fazer as suas compras de Natal, além de pensarem em elaborar um orçamento que não devem de todo ultrapassar, relembro que este mês é também altura de pagamento de seguros, casa e carro, e portanto as contas do mês devem ser feitas com atenção a estas questões que, na minha opinião, devem estar sempre primeiro.
Outra sugestão é pensarem que se quiserem oferecer roupa, por exemplo, estão aí a chegar os saldos (até já se vêem promoções por aí, tal é a crise). Por isso, tenham em atenção a possibilidade de comprar e oferecer depois do Natal, ou comprarem ou mesmo fazerem os vossos vales de oferta ("vale um casaco de malha nos saldos").
Também acho muito gira a ideia do amigo secreto... no caso, a familia secreta... porque não dedicar toda a atenção e todo o orçamento para uma pessoa. Assim, todos recebem prenda e os gastos não são tão grandes.

Como nota final, volto apenas a reiterar o quanto acho importante uma rubrica de extras no vosso orçamento de casa. Para imprevistos, mas principalmente para compensar estes meses em que há almoços e jantares com amigos e família e prendas imensas para comprar. Volto a dizer, diluindo no tempo, ir comprando e principalmente ir gerindo as despesas pode significar uma poupança perto dos 100% do subsidio de Natal que este ano, em particular, já foi tão curto para toda a gente!

Agora é contagem decrescente...

Boas Poupanças!

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Ajudinha por favor

Amigos leitores,

estou a elaborar um trabalho/estudo aqui para o blog e também para uma formação/workshop que vou dar referente às vantagens e desvantagens da compra vs arrendamento de casa. Tenho algumas ideias pré definidas e alguns cálculos já feitos, mas receio que alguns problemas e questões advenham apenas da própria experiência, que no meu caso, relativamente ao arrendamento é muito pouca.

Por isso apelo às vossas dicas e troca de experiências para conseguir algo mais verossímil.

Mandem por favor como resposta/comentário ao tópico ou para o e-mail do contas da casa.

e desde já muito obrigada!
Boas Poupanças!

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Parece que ando desaparecida...

... mas não totalmente! Só talvez mais ocupadita!!!

A serio... não queria passar tanto tempo sem escrever, mas às vezes parece que o tempo voa!

Só por isso decidi postar algo mais animadito hoje!

Uma das grandes vantagens de poupar e viver poupando, é poder gastar em pequenos extras sem qualquer sentimento de culpa. Esta semana tirei um tempinho para ir cortar o cabelo. E no fundo, há que admitir, que cuidar do cabelo não é um gasto superfulo, antes pelo contrario, temos de o manter saudável.

Pois então, descobri aqui na zona um cabeleireiro Low cost (high beauty, é o nome) em que o corte é a 6euros e o brushing 5 euros. Sim, é possível. E se pensam que se "perde" alguma coisa, desenganem-se. É possível e é barato e não precisamos de levar shampoo de casa e a simpatia e atendimento são tão bons ou ainda melhores que noutro sitio qualquer.

Ora aqui está uma boa ideia de negocio e uma dica para poupar, cuidando de nós!

Boas Poupanças!

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

ele há coisas...

Hoje passei na worten de caneta e caderninho em punho para apontar uns preços do que quero comprar, aproveitando descontos, e fazer as minhas contas... é que diz que a Rádio Popular faz este fim de semana desconto identico, só que 23% (o IVA) em vale de desconto...

Então não é que fui abordada que não podia estar ali a apontar preços... "é que a concorrência e tal"!!!! A serio! Juro! O que vale é que foi uma abordagem soft e simpatica... ri-me e aceitei a ajuda do rapaz que foi chamado para me dar a lista de preços que eu pretendia....

como diria o saudoso Fernando Pessa... "e esta, hein?!"

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Reminder... ainda cá ando :)

Ando com falta de tempo... mas não me faltam ideias para partilhar convosco! Assim que me conseguir sentar mais que 2 minutos e escrever.... até se vão fartar! Obrigada pela paciência e continuarem aí desse lado.

Não quero deixar de avisar/relembrar que este fim de semana há desconto de 20% em vale na Worten. Com as devidas cautelas já tantas vezes aqui referidas (e especial atenção aos preços) acho que é de aproveitar, divide-se as prendas que se querem comprar em 2 dias, um para receber os descontos e outro para os gastar!

Boas compras e Boas Poupanças!

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Fico chateada, com certeza que fico chateada

Então vou comprar pêras para fazer os doces... aproveito o desconto em cartão de 50% que mandaram para casa. Excelente!

Chego lá, trago um saco e na caixa... "não podem ser estas... só as pesadas e que têm um selo preto"

Sim, senhora... volto para trás... ora qual não é o meu espanto quando vejo....o saco que eu trazia inicialmente... 1€/Kg... as ditas com vale em desconto... 2.49€/kg.... estão a brincar não? Nem com os 50% de desconto compensa!!!

Toca a fazer contas, sempre!

Boas Poupanças!

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Cabazes de Natal Parte II

Ora fiz mais umas contas e aqui estão (por cabaz):
Enfeites dos cabazes (incluem etiquetas, bolas, fitas, feltro – para cobrir as tampas dos frascos de doce – e outras decorações variadas) – cerca de 1.5€
Fotos: vou aproveitar as da escola do meu filho 1€ (sim, são caríssimas!) e as que faltarem imprimo em casa.
Ingredientes: cerca de 2.44€ (tendo em atenção que em muitos casos não usei a totalidade do que foi comprado, mas tendo sido comprado especificamente para o efeito, contabilizei a totalidade)
·         Especiarias     1,63 €
·         Canela            0,69 €
·         Alhos 0,49 €
·         Miolo noz       3,99 €
·         Açúcar (3kg)   2,67 €
·         Pera rocha      1,09 €
·         Frutos vermelhos       5,19 €
·         Limão  0,36 €
·         Azeite  8,00 €
·         Farinha           0,33 €


Isto significa que um cabaz mais composto, como é o caso da mãe e sogra e que inclui então o sal e o azeite aromatizados, as bolachas (que só farei mais próximo do Natal), um doce, uma vela, uma foto e a decoração (bem como os frascos), fica a cerca de 10€! Obviamente, num cabaz bem mais pequeno, o valor desce substancialmente e conseguindo aproveitar materiais, ainda mais!
Boas Poupanças!

5000!

Bem... mais de 5000 já vieram visitar este cantinho! Estou mesmo feliz.

Espero de todo o coração que tenha ajudado qualquer coisinha e que continuemos a partilhar dicas para que daqui a algum tempo (pouco, espero) os post deste espaço comecem com... Já posso comprar... consegui alcançar...

Obrigada por estarem desse lado

beijinho e

Boas Poupanças!

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Contagem decrescente para o Natal


Se ontem foi dia de aproveitar os descontos nos brinquedos... Hoje mantive-me no espirito Natalício!

Este ano vou tentar aderir ao movimento “cabazes de Natal”, conhecem? Estou a brincar, inventei eu o nome, mas adorei a ideia de fazer uns cabazes com coisas boas feitas por mim! (além de amigas que fazem, também tirei ideias da Joana)

1º Porque, à primeira vista, parece que fica mais barato que uma compra;
2.º São coisas uteis a quem as recebe; e
3.º São prendas bem mais pessoais uma vez que somos nós que as fazemos e portanto tem “parte de nós”

No entanto, a decisão já vem um pouco tarde porque não consegui guardar e aproveitar das compras que faço os frasquinhos e caixinhas para as ofertas. Mas encontrei uma lojinha bem barata com coisas para a casa.

Vou aproveitar uns cestos que tinha cá em casa, lindos, mas que estão um pouco desaproveitados (daqueles que vêm com arranjos de flores) ou usar sacos de papel de Natal ou até caixas que podem ser decoradas. E estou a pensar fazer:
·         Azeite aromático
·         Sal aromatizado
·         Bolachas
·         Doces

Tendo comprado garrafinhas (que podiam muito bem ser os frascos/garrafas de polpa de tomate) e frascos para o sal e para as bolachas (se me tivesse lembrado tinha guardado as latas de nesquik) os cabazes não ficaram a mais de 5,5€ (os completos)! Falta fazer as contas à matéria prima e às decorações. Ah! E para dar ainda mais um toque (e porque os cabazes são para a família) inclui uma moldura pequena (menos de 1€) e uma velinha pequena alusiva ao Natal.
As fotos que apresento são dos cabazes ainda em bruto. Vamos ver como ficam.


Boas Poupanças!

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Boas noticias!

"Taxas Euribor tiveram hoje a maior descida do ano

As taxas Euribor a três e seis meses tiveram hoje a maior queda do ano num só dia, depois de ontem o BCE ter decidido baixar as suas taxas directoras, o que fará diminuir as prestações do crédito à habitação. "

in http://economia.publico.pt/Noticia/taxas-euribor-tiveram-hoje-a-maior-descida-do-ano-1519536

Boas Poupanças!

Brinquedos

Para quem considere útil e quiser antecipar prendas de Natal...

Este fim-de-semana no Continente.... Brinquedos com 50% de desconto em cartão!

A outra metade pode servir para depois comprar o bacalhau hi hi hi!


Boas Poupanças!

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Aproveitar o sol!

A iluminação natural é a melhor e deixar o sol entrar em nossas casas não só anima logo o dia como aquece o nosso lar.
Então há que aproveitar ao máximo e gerir este aquecimento natural em nosso favor. Assim, para aproveitar ao máximo a luz solar e utilizar a iluminação artificial de modo racional, opte pela luz certa, no local certo e no tempo certo:
  • Sempre que possível, utilize a luz natural. Evite acender lâmpadas durante o dia; abrindo as cortinas e persianas e tirando partido da luz do Sol;

  • No Inverno, deixe as persianas para cima para ir aquecendo a casa durante o dia e à noite, feche-as para que o calor seja preservado dentro de casa;

  • No verão, em assoalhadas muitos expostas ao sol, deixe as persianas corridas (excepto, claro se precisar da iluminação para ver), de forma a não aquecer demais a divisão. Abra as janelas no final de tarde ou de manhã para aproveitar a brisa mais fresca;

  • Desligue a luz quando esta não for necessária, verifique a vantagem de ter um pequeno candeeiro com uma luz suave e de baixo consumo em locais de passagem que precisam estar sempre iluminados;

  • Se recorrer à iluminação artificial, opte por lâmpadas mais eficientes. Utilize-as preferencialmente nas áreas de maior utilização e na substituição de lâmpadas ineficientes e muito utilizadas;

  • Pinte as paredes e o tecto com cores claras, que reflectem melhor a luz, reduzindo as necessidades de iluminação artificial;

  • E acima de tudo, aproveite o sol lá fora, mesmo que esteja frio! Faz bem à saúde e à alma!

(baseado também na informação da EDP)

Boas Poupanças!

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Iluminação

(pois que não sei o que se passou com este post que não aparecia nada cá escrito e quando eu o fiz, estava tudo ok... espero que não tenha sido censurado! aqui vai outra vez)

Cá em casa, este verão, e aproveitando parte do subsidio, resolvemos fazer um investimento em lâmpadas economizadoras, substituindo todas aquelas que ainda não eram deste género de forma a reduzir o consumo energético. A excepção foi mesmo os holofotes do tecto falso, é que as lâmpadas para estes são mesmo caríssimas. Mas enquanto não são substituídos, desligamos metade, em termos de iluminação não se nota grande diferença, e em termos de consumo, é metade!


Quanto às lâmpadas, propriamente ditas, podia pôr-me aqui a divagar, mas acho que a informação que está no site da EDP está muito interessante e pode ajudar imenso, pelo que a transcrevo para aqui.


" (...) As lâmpadas incandescentes clássicas são mais baratas, mas apresentam uma eficiência muito reduzida. As lâmpadas fluorescentes compactas (LFC) são uma boa opção, pois dão a mesma luz do que uma lâmpada convencional, mas gastam menos 80% de energia, tendo uma vida útil muito superior. As LFC permitem poupar dinheiro e energia, numa única compra. E ao poupar energia, estará a ajudar no combate às alterações climáticas.

Tipos de lâmpadas
As lâmpadas para uso doméstico são as lâmpadas incandescentes (clássicas ou de halogéneo) e as lâmpadas fluorescentes (tubulares ou compactas).
As lâmpadas mais eficientes são as lâmpadas fluorescentes. Nesta categoria podemos distinguir entre lâmpadas fluorescentes tubulares (vulgarmente designadas por lâmpadas T8 ou T5) e as lâmpadas fluorescentes compactas (também designadas de economizadoras). Veja aqui as características base de cada tipo de lâmpada:
tabela1
As lâmpadas fluorescentes apresentam um rendimento luminoso superior comparativamente com a tecnologia incandescente. Na prática, para a mesma intensidade de luz produzida (fluxo luminoso), as lâmpadas fluorescentes consomem cerca de 5 vezes menos energia:
tabelas2
A lâmpada fluorescente tubular apresenta geralmente potências superiores, rendimentos luminosos e tempos de vida superiores aos das lâmpadas economizadoras. No entanto, as lâmpadas fluorescentes tubulares necessitam de luminárias (ou armaduras) próprias devido às dimensões elevadas. As LFC com balastro electrónico integrado permitem a substituição directa das lâmpadas incandescentes por possuírem o mesmo tipo de casquilho.
Embora as LFC sejam mais caras do que as lâmpadas incandescentes, apresentam um tempo de vida muito superior (entre 3 a 15 vezes mais) e consomem muito menos (cerca de 80% menos), motivos que rentabilizam o investimento num período aproximado de um ano (para um tempo de utilização diário de 3 horas).
As economias obtidas dependem do número de lâmpadas, da potência e do tempo de funcionamento. Quanto maior o tempo de utilização das lâmpadas a substituir maior será a redução de custos.
Relativamente às lâmpadas de halogéneo, a sua luz é mais próxima da luz natural do que a luz das lâmpadas fluorescentes. Contudo, para a mesma eficiência luminosa, as lâmpadas de halogéneo consomem 3 a 4 vezes mais energia do que as LFC. Assim, a sua substituição é vantajosa desde que possuam casquilhos semelhantes.

Cuidados a ter na aquisição de uma LFC
Um dos parâmetros mais importantes é o custo de aquisição. Como as LFC apresentam tempos de vida variáveis entre 3.000 e 15.000 horas, possuem um preço mais elevado.
Deve também ter atenção ao tipo de luz; uma cor quente e mais confortável (mais amarela) assemelha-se ao tipo de luz produzida pelas lâmpadas incandescentes, enquanto uma tonalidade fria (mais azulada) é adequada para espaços de trabalho. Aconselhamos a leitura atenta da informação constante na embalagem.
Existem na actualidade formatos diferenciados que permitem a substituição directa dos diferentes tipos de lâmpadas incandescentes. A tabela de equivalência de potências deve ser respeitada para obter o mesmo fluxo luminoso. Verifique também a classe de eficiência energética (se se tratar de uma lâmpada classe A estará a optar por uma solução eficiente)."

Boas Poupanças!

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Hoje é dia Mundial da Poupança!

Sim, não é apenas o dia de halloween!!! 31 de Outubro é também o dia da poupança.

Estranha conjunção, diga-se, pois como se não faltasse dias de puro consumismo, toma lá mais um e festejem-se as bruxas!!!

A Deco, a propósito deste dia, o da poupança, não o das bruxas, publicou um artigo interessante. Passem por lá...
http://www.deco.proteste.pt/poupanca-e-investimento/dia-da-poupanca-ha-alternativas-de-investimento-s429971.htm


e hoje, mais do que é costume

Boas Poupanças!

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Tarifas EDP Parte II

Um dos temas mais populares aqui do “espaço” teve a ver com as tarifas EDP.
O engraçado é que por causa do post, voltámos a fazer contas e chegámos à conclusão que no horário de Inverno o tarifário Tri-horário (semanal) não nos compensa.

A partir de Domingo (mudança de hora às duas da manhã de dia 30, atrasar relógio 1h) entra em vigor o horário de Inverno, que na tarifa Tri-horaria implica que no período das 18.30 - 21.00 durante a semana o preço seja mais caro (não acontece no Verão). Ora este período coincide exactamente com as horas de fazer o jantar e começar a aquecer os quartos. Uma vez que a hora de ponta é bem mais cara que a hora de cheia no tarifário Bi-horario, mais o IVA a 23% já desde o 1º dia de Outubro, o mais provável é apanhar outro susto quando fizer as contas de Luz (sim, porque eu faço as contas antes de receber a factura J).

Para ajudar aqui vai um gráfico


Relativamente ao fim-de-semana, o Domingo é igual, 24h de horário vazio, ao mesmo preço e ao Sábado, mostro também um gráfico, em termos de horário é muito idêntico, e as horas de cheia têm apenas uma ligeira diferença de preço, perfeitamente compensáveis na semana.



Quem quiser alterar, saiba que para tarifas diferentes da “simples”, é necessário alterar o contador, mas não o será entre as tarifas Bi e Tri-horário.

Boas Poupanças!

Limpar o congelador

Já aqui foi referido o quanto é importante manter o congelador limpo, sem gelo acumulado.
Um congelador sem gelo é mais eficiente e gasta menos energia.

Se o seu frigorifico for um combinado e não for possivel desligar apenas o congelador, então talvez seja uma boa oportunidade proceder à limpeza quando a temperatura não está muito alta, como no inverno. Assim, e tentado limitar o abrir da porta do frigorifico para apenas o imprescindivel, permite que o interior da zona frigorifica se mantenha fresco.

Por outro lado, há que acelerar o processo de descongelação. Para isso coloque uma panela de água quente dentro do congelador.

Já agora, não desperdice esta água. Utilize-a para regar plantas, encher os autocolismos ou lavar loiça.

Boas Poupanças

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Ainda os descontos...

Encontrei este site http://www.paramim.com.pt/home.aspx

além de dicas interessantes, volta e meia podem-se pedir vales de desconto. Há que aproveitar!

Boas Poupanças

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Já cheira a NATAL

Antes de mais... Deixem-me fazer uma advertência... Muito por influência da minha mãe, eu ADORO O NATAL! Mas adoro mesmo tudo o que envolve o Natal! Adoro o pensar em cada pessoa e no que vou oferecer, o comprar ou ir comprando!
Adoro decorar a casa!
Adoro pensar no jantar de consoada e em como vou decorar a mesa!
O Natal, como para a minha mãe, para mim, começa em Setembro, ou mesmo antes!
Ora do ponto de vista financeiro, pode desde logo ver-se aqui vantagens... É que os gastos "diluídos" são menos "dolorosos".
Claro que precisamos, como em tudo, eu acho, de definir um orçamento que devemos seguir para, claro está, não gastar demais. Aqui é simples, a velha da listinha com os nomes de quem vai receber prenda e o valor por gastar/gasto. Mas a verdade é que como "vou comprando", utilizando para isso a minha rubrica de extras mensais, quando chega o subsídio (que este ano já se sabe como vai ser, ainda por cima) ele é usado para outras coisas ou guardado!
Cá em casa nós gostamos de tudo e, claro, adoramos as prendas! E não significa gastar mais dinheiro o facto de encher a árvore de Natal ou presépio de prendas. É que ir distribuindo miminhos ao longo do jantar (tradição que se instaurou na família a qual damos o nome de "entremesas") significa que vamos apreciando muito melhor cada prenda que se recebe de cada familiar. Para não se abrir tudo ao mesmo tempo! À meia-noite já estamos todos alegres, divertidos e envoltos na magia natalícia. 
Há sempre a possibilidade dos miminhos:
  • A fotografia da família
  • As típicas meias ou pantufas (nem seria Natal sem estas)
  • Um pijama para estrear na noite de Natal
  • A cueca azul para a passagem de ano
  • Um cachecol ou luvas
  • Um porta-chaves
Para as pessoas prendadas é altura ideal para dar uso a imaginação e arte e oferecer as suas coisinhas! E agora há lojas super giras com brindes interessantes e valor baixinho.
A serio, não deixem “a crise” estragar o Natal. Dêem afectos, que esses perduram e vivem para sempre.

E com isto em mente… hoje que a chuva não me deixa sair, fiz as minhas primeiras recordações/decorações de Natal. Não tenho lá muito jeito, mas foi com amor.

As argolas de guardanapo tirei ideia da Joana e as estrelas são para pôr os nomes nos respectivos lugares e com um alfinete-de-ama por trás dá para depois prender à camisola!

Boas Poupanças!

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Iogurtes

Não sou uma organizadora por excelência, nem melhor dona de casa. Cozinha então... só o essencial e porque tem de ser... mas tenho penso sempre em que posso melhorar e, claro, poupar!

 
Neste sentido, de há uns tempos para cá comecei a fazer iogurtes em casa. A maquina é a velhinha que era da minha mãe e tem dado muito jeito....



1l de leite... 50 cêntimos (+/-)

1 iogurte de aromas... mais 15 cêntimos e

cá ficam 8 iogurtes bem saborosos


(deixo a maquina a trabalhar durante o horário de vazio)





Boas Poupanças!





sexta-feira, 21 de outubro de 2011

A crise e a imprensa - Truques e Dicas

Muitos litros de tinta se gastaram, gastam e gastarão a propósito da crise. Alguns temas de interesse, muitas outras linhas de pura demagogia. No entanto, hoje passei os olhos na “Visão” onde são elencadas 52 medidas (julgo eu, não trouxe a revista) para poupar uns trocos e gostei, logo, partilho.

Algumas já falamos aqui (o que me deixa contente) com especial enfase para o orçamento domestico e para o planeamento das despesas.

Queria deixar entretanto mais 3 que lá são referidas e que como já apliquei cá em casa sei que resultam. Água:

1.      Em poucos minutos, pode poupar imenso, bastando para isso garantir que não há torneiras a pingar ou furos/fugas nas canalizações. Simples: com tudo fechado, vá até ao contador… se estiver paradíssimo, tudo ok, se não… algo está errado!
2.      Colocar uma garrafa de plástico no autoclismo (ocupando espaço e, assim, enche com menos água) permite poupar imenso!
3.      Duches, em vez de banho, é mais rápido e consome menos água. Deve demorar entre 5 a 10 minutos (tolerânca em dias de frio em que sabe tão bem!)… e não se esqueça de fechar a torneira enquanto se está a ensaboar.

Boas poupanças

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Ainda sobre promoções e descontos em cartão

A propósito deste tema, recebi um comentário que considero muito válido e, conforme prometido, resolvi pô-lo num post especifico junto com outras considerações que também já me fizeram pensar. Não quero deixar de, antes de mais, agradecer muito por este e outros comentários já feitos e aqueles que ainda virão. Partilhem as vossas ideias porque juntos conseguimos mais!

1.      Então: uma das coisas que é preciso ter atenção é ao preço que o supermercado ou loja (sim, porque estes casos verificam-se em todo o lado! Incluindo lojas de roupa) pratica antes da promoção, durante a promoção e até mesmo a promoção. Não seriam os primeiros a dar conta que o preço que será sujeito a “desconto”, já levou entretanto um pequeno aumento o que leva a que o desconto não seja assim tão linear quanto isso.

2.      Outra questão refere-se às “promoções” que se vêm nos corredores dos supermercados, que muitas vezes não são sequer promoções. Evidenciam um determinado produto e o preço não variou nem um cêntimo!

3.      E ainda…. Reparei já varias vezes que a selecção que é feita pra produtos com desconto em cartão é selectiva a algumas marcas (alem de podermos discutir o facto de se destinar a produtos que não bens essenciais). Chegou ao ponto de mesmo com desconto de 75% o detergente para a máquina da loiça não ficar mais barato que uma determinada marca branca!

Pensem nisto e...

Boas poupanças!

Por esta não esperava, confesso

in http://economia.publico.pt/Noticia/cavaco-silva-corte-dos-subsidios-e-a-violacao-de-um-principio-de-equidade-fiscal--1517228


"Mudou o Governo, mas eu não mudei de opinião”, afirmou hoje o Presidente da República, contestando a eliminação dos subsídios de férias e de Natal para funcionários públicos e pensionistas, que vê como a “violação de um princípio de equidade fiscal”.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Orçamento de Estado 2012

Aqui estão elencadas as principais medidas elencadas no relatório entregue e disponivel no site da DGCI (sublinhado e comentários a azul nossos - retirado de http://www.agenciafinanceira.iol.pt/)

“ (...) Passando às principais medidas com maior impacto orçamental e começando pelo lado da despesa (que equivalem a 4.4 por cento do PIB), gostaria de salientar as seguintes:
·         As despesas com pessoal (que, em 2010, representavam cerca de 24 por cento do total da despesa) serão reduzidas num valor equivalente a 1.6% do PIB. Esta redução é conseguida através de várias medidas, salientando-se a suspensão dos subsídios de férias e de Natal dos trabalhadores do sector público com salários acima de 1000 euros, durante a duração do Programa de Assistência Económica e Financeira. Entre 485 e 1000 euros a suspensão equivalerá, em média, a um dos dois subsídios.
·         O montante das prestações sociais (que representam cerca de 33 por cento do total da despesa em 2010) será reduzido em 1.2% do PIB. Para esta redução contribui a suspensão dos subsídios de férias e de Natal das pensões, em moldes idênticos aos que se aplicam aos funcionários públicos que equivale a 0.7 por cento do PIB.
·         As prestações sociais em espécie (cerca de 10 por cento do total da despesa em 2010) terão uma diminuição significativa (0.6 por cento do PIB), por via da contenção da despesa na área da saúde.
·         Os consumos intermédios (cerca de 10 por cento da despesa em 2010) serão reduzidos num valor de cerca de 0.4 por cento do PIB. As poupanças serão conseguidas com medidas de racionalização da Administração Pública e da rede escolar.
·         As despesas de investimento ao nível das empresas públicas e da Administração Local e Regional serão reduzidas num montante de 0.5 por cento do PIB.

Do lado da receita (no valor de cerca de 1.7 por cento do PIB) e em cumprimento do Programa de Assistência Económica e Financeira, salientam-se as seguintes medidas:
·         Reestruturação e racionalização das listas do IVA, preservando-se a aplicação da taxa reduzida ao cabaz de bens e serviços de primeira necessidade e mantendo-se a taxa intermédia para os sectores essenciais de produção nacional como a vinicultura, a agricultura e as pescas. [nosso: IVA passa para 13% na estauração, pré-congelados e espectáculos (cinema e futebol. Mantém-se para sumos (6%) e vinho (13%), mas aumenta na água mineral para 13%.]
·         Alargamento da base tributável em sede de IRS, através nomeadamente da restrição de benefícios fiscais e da definição de limites globais progressivos para as deduções à coleta, atendendo-se, no entanto, à dimensão do agregado familiar através da majoração das deduções para as famílias com filhos.
·         Em sede de IRC, procede-se à eliminação de todas as taxas reduzidas e restringem-se os benefícios fiscais aplicáveis às empresas.
·         Nos impostos sobre os imóveis, reduzem-se substancialmente as isenções aplicáveis aos imóveis destinados à habitação para o futuro, preservando-se, assim, os direitos e legítimas expectativas dos contribuintes que atualmente beneficiam desta isenção. (para imoveis reavaliados em 2004 0,3% a 0,5%)
·         Na formulação destas medidas, o Governo manteve-se fiel ao princípio da equidade social na austeridade através da justa repartição dos sacrifícios, exigindo um esforço acrescido aos contribuintes com rendimentos mais elevados e não onerando as famílias com menores recursos. Neste sentido:
·         Os contribuintes do último escalão passam a estar sujeitos a uma taxa adicional de solidariedade de 2,5%, e os dos dois últimos escalões deixam de poder efectuar deduções à coleta.
·         A taxa especial aplicável às mais valias de partes sociais e de outros valores mobiliários é agravada para 21,5% .
·         As empresas com lucros mais elevados passam a estar sujeitas a uma taxa adicional de solidariedade de 3% sobre os lucros superiores a 1,5 milhões de euros e de 5% sobre os lucros acima de 10 milhões de euros.
·         A tributação sobre os veículos ligeiros de alta cilindrada, as embarcações de recreio e as aeronaves de uso particular é agravada em 7,5%.
·         O limite de existência em sede de IRS é alargado, pela primeira vez, aos rendimentos de pensões, protegendo-se, desta forma, os pensionistas com menores recursos.
·         Em resultado da renegociação do Programa de Assistência Económica e Financeira, o subsídio de desemprego, o subsídio de doença, os abonos de famílias e outras prestações sociais não serão sujeitas a tributação em sede de IRS.
·         Finalmente, um montante até 200 milhões de euros da receita adicional de IVA será alocado ao financiamento do Programa de Emergência Social, aumentando os recursos destinados ao auxílio das famílias portuguesas em situação de exclusão ou carência social. (...)"

"O Governo vai criar deduções em sede de IRS, IMI ou Imposto Único de Circulação (IUC) até 5% do IVA suportado e pago pelos contribuintes na compra de bens ou serviços, “sujeitas a um limite máximo”. " in http://economia.publico.pt/Noticia/contribuintes-vao-poder-deduzir-ate-5-dos-gastos-com-iva-1516946

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

o que vai mudar

informação importante

http://economia.publico.pt/noticia/iva-na-restauracao-refrigerantes-e-congelados-dispara-para-a-taxa-maxima-1516910

Pela sua saúde…

… Não fume! Imagino o quanto vai “doer” este post, mas nisto das poupanças e no que respeita a olhar às despesas em que podemos poupar, acho que a primeira deveria ser aquela que nos faz realmente mal à saúde.

Assim… tabaco… a quanto está o maço? 4€ (o mais “famoso”), vamos a contas?

Um fumador moderado…. Meio maço por dia…

Por semana 14€, por mês 60€ e por ano 720€

Um maço por dia são 1.440€ por ano!!!

Dois fumadores em casa são 2.880€… o que significa que em 10 anos conseguiriam poupar  28.800 €, para abater no empréstimo da casa, por exemplo!!!

Por isso… pela sua saúde, não fume! E boas poupanças

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Desconto em cartão

Hoje foi dia de compras no híper com desconto de 10% em cartão! Boa! Por cada 100€, um desconto de 10€… Sim, é verdade… este tipo de “descontos” obriga-nos a que voltemos para o gastarmos. Mas isto não é necessariamente mau, certo?

Uma advertência apenas… Não se deixem influenciar pelo desconto, ou seja, não se permitam comprar coisas que de outra maneira não comprariam. Eu aproveito de facto para comprar alguns extras, hoje por exemplo, comprei tigelas para a comida dos cães, esperei pelo desconto e fica mais barato, de facto. Mas era algo que se traduzia numa necessidade e não num extra que “aproveitei” para comprar. Estes descontos são igualmente bons para comprar em quantidades aqueles produtos que não se estragam com facilidade como detergentes, massas, etc.

No entanto, aquilo que não devemos fazer é encher o carrinho com coisas que de outra maneira, numa compra sem desconto, não levaríamos. É que se para perfazermos os tais 100€ gastámos mais 20€ do que seria espectável, até podemos defender que poupámos 10€ (os tais do desconto), mas a verdade, pura e dura, é que gastámos 20€ a mais quando podíamos tão simplesmente ter poupado 8€ (10% de 80€).

Boas compras e boas poupanças

Da água...

Confesso que relativamente à água há coisas que não compreendo… quer dizer, eu compreendo, acredito que há quem não goste do “sabor” e que prefira a engarrafada. Mas ninguém me convence que a qualidade da água da rede pública é inferior, isso não!

Eu simplesmente adoro água e nada a substitui para matar a sede! Água sempre e sempre da torneira. Vejo em livros, por exemplo, nos de pediatria, vejo em notícias e informações que salvo raríssimas excepções a água das nossas torneiras é de facto a melhor!

Neste sentido, gostaria que ponderassem a possibilidade de poupar na água… engarrafada!

Vamos a contas:
Garrafa de 1,5l: 0.88€ das mais baratas
Garrafão 5l praticamente 1€

Se um adulto deve beber pelo menos 1,5l de água por dia, estamos a falar de cerca de 20 garrafões por mês, ou seja, cerca de 20€. Agora comparem com a vossa conta de água e pensem se vale a pena este gasto extra do mês, sem esquecer que um metro cubico (unidade de medida da factura da água) corresponde a um quilolitro.

Pela minha factura, já com tudo incluído… pago pouco mais de 1€ por m3 e 1m3, um quilolitro, são 1000 litros! Estamos a falar de cêntimos pela água que bebemos, poucos cêntimos!


Boas poupanças

17 de Outubro:
Na sequência dos comentários, corrijo os valores que indiquei. Obrigada leitores por estarem tão atentos e nos ajudarem a poupar.

então.
no continente online, encontramos garrafas a 10 cêntimos, preço por litro. há quem compre a 12 centimos a garrafa.

Quanto a garrafões, compram-se a 0.35€ o que é uma diferença bem jeitosa!!! Estamos a falar de 7€ por mês e não de 20€.

Boas poupanças
Ocorreu um erro neste dispositivo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...